Páginas

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Vichy, para sempre ♥

Brasileiros em Vichy


Como tudo na vida, chegou o fim de mais uma etapa. Uma etapa que sabíamos que tinha data certa pra começar e também data certa para acabar (mas essa parte demoramos muito para entender). Hoje é meu último dia em Vichy, a cidade que me abrigou por dois meses e me trouxe TANTA coisa boa!

Demorei para acreditar que estava na França, que todo aquele sonho começava a se tornar realidade. Parece que foi ontem que eu estava entrando na faculdade e assistindo uma palestra sobre intercâmbios numa 'disciplina' dedicada para os calouros. Sabia que aquilo era pra mim, mas realmente não acreditava que era possível. Me dediquei muito ao passar dos semestres, me preparei acadêmica e psicologicamente para essa etapa tão importante para o meu futuro. Chega a ser engraçado, a gente começa a pensar em tudo o que passamos para chegar até aqui, desde a preparação das tão complicadas cartas de motivação e da temida entrevista até o dia da viagem. Tive ao lado de pessoas que compartilharam do desespero de não ter recebido documentos, da angústia na semana em que sairia o resultado da bolsa, das burocracias que teríamos que enfrentar antes de sair do Brasil, das provas finais que eram tão próximas da data da viagem... Corríamos atrás dos novos veteranos (quem diria que seríamos bixos novamente!) para tirar dúvidas, atrás dos Prof. Pissolato e Serpa, da Marta... Passou tudo tão rápido! E vemos o quão boa foi toda essa preparação, toda essa ansiedade!


Esses dois meses, então, passaram voando. Parece que foi ontem que chegamos e estávamos indo na segunda-feira de manhã ao CAVILAM, pra fazer a prova de nivelamento e algumas horas depois perceber que ela não serviu pra nada. Conhecer os diversos colégios, ter estilos de professoras bem diferentes e fazer amizade com elas. Almoçar no RU no estilo brasileiro de tentar cortar fila e ver os chineses realmente correndo para chegar primeiro quando não tem fila alguma; ouvir o tio reclamando que pegamos, sem querer, dois queijos ou duas sobremesas; encher a comida de ketchup para dar gosto, doar comida para os amigos. Tomar vários cafés, capuccinos, chocolates (e até experimentar a sopa!) nas máquinas inteligentes e baratas. Fazer aula de dança de salão com um professor exatamente no estilo de um bailarino francês. Jogar vôlei no campeonato para se divertir e ganhar. Deixar de fazer os devoirs para ir nas soirées que acabavam sempre às 01h e era um calor do inferno! Ir nas sessões de cinema e dormir quando o filme estava muito chato. Tomar suco de laranja até não poder mais nos cafés da manhã gratuitos. Conhecer pessoas do mundo todo, conhecer culturas do mundo todo. Aprender sobre nossa própria cultura.


Em Vichy fortaleci amizades e fiz outras. Ver os brasileiros juntos, que antes estavam em contato apenas por facebook, foi muito bom! Conhecer e poder aprender a conviver com os mais diversos tipos de pessoas.

Ter mais intimidade com algumas que, de quebra, acabam se tornando parte de nossa família aqui na França. Aqueles em que temos certeza que podemos contar. Compartilhamos bons momentos juntos, e ruins também. Almoços no McDonalds que fica longe de tudo, idas aos supermercados Cora (Coralina) e Carrefour para comprar porcarias, caminhadas pela beira do rio, atravessar o rio de barco, assistir corridas de cavalo, ver os fogos de artifício até embaixo de chuva, (tentar) jogar golf, ficar até tarde conversando e ouvindo música na praia, degustar vinhos sem saber como escolhê-los, ligar pros amigos após gastar alguns euros e esperar que eles nos façam sentir melhor, ficar mais de 15 minutos num café esperando o garçon anotar nosso pedido, conhecer e fazer amizade com a famille d'accueil de seus amigos, ter a oportunidade de ir para a EuroDisney com os amigos, fazer a melhor viagem, para Lyon, com as melhores companhias, emprestar e pedir dinheiro emprestado, reclamar infinitamente da pobreza inicial dos Eiffeis, ter dor de cabeça para conseguir o cartão do banco. Ver a alegria em nossos olhos ao conseguir comprar nosso celular com ligações e mensagens ilimitadas, comprar uma caixa de magnum/cornetto e dividir, dormir na grama do parque para parecer francês, fazer picnic na entrada da Ópera, comer 'pizza de caixa-eletrônico' quando nenhum outro lugar está aberto. Dar e pedir conselhos.Tropeçar sempre em hora cheia, levar tapas depois que seus amigos arrotam, tentar encontrar a casa de um amigo que para ver se ele está bem, marcar os rendez-vous sempre no Quatre Chemins (carinhosamente apelidado de 4C rs), ver campeonato de jet sky, assustar  os seus amigos no escuro, comer crepe e churros. Encontrar o maior cacho de uvas já visto e comprar um pedacinho dele, aproveitar os soldes para comprar roupas e sapatos sendo que sua mala já está lotada. Daí, você compra outra mala. Inventar palavras em francês e dar certo, soltar pequenas frases em português, sem querer, no meio da aula e começar a rir. Ficar nervoso por ter que usar o francês para se comunicar. Desenvolver confiança em algumas pessoas e ver que isso é recíproco.

Crescemos muuuuuuito nesses dois meses, é impossível falar que não. Posso dizer que fiz eternos amigos, que foram essenciais para mim em Vichy. Fico triste, sim, de ter que me separar deles, mas tenho certeza  de que estaremos sempre juntos! Entre eles, Victor, Bruno, Erik e Virgínia: muitíssimo obrigada pela companhia!

Em especial, agradeço demais ao Luiz Gustavo e ao João Victor. Fizeram toda a diferença em Vichy e tenho orgulho em tê-los ao meu lado. Lutamos muito para chegar até aqui, e vamos lutar agora nessa segunda parte do nosso intercâmbio para conseguir o que tanto merecemos! Vocês são sensacionais!

Valeu a pena acordar cedinho para me despedir deles na última sexta e segunda. Odeio despedidas, todo mundo sabe. Odeio me separar daqueles que me fazem bem. 

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." (O Pequeno Príncipe)






Vichy foi demais. Foi uma experiência incrível, tenho certeza que guardaremos sempre grandes boas lembranças dessa pequena cidade!



 


 



Agora, rumo à segunda parte desse intercâmbio!
École Centrale de Nantes me espera, duplo diploma me espera! 

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Final de semana em Lyon!

Lyon é uma cidade que pretendíamos visitar algum dia durante nossos dois meses em Vichy. E conseguimos \o/

Só demorou um pouco para irmos. Na verdade, estávamos esperando que nosso outro amigo da UNICAMP, o Avatar, chegasse na França para podermos visitá-lo (ele estava em Lyon fazendo curso de francês antes de ir para a école) e ter mais uma companhia na viagem. Como na viagem para a EuroDisney, fomos fazer a festa no mercado no dia anterior à viagem (gente, Eiffel é pobre no começo, acreditem! hahaha)

Lyon teve nossa presença nos dias 11 e 12 de agosto. Saímos cedinho de Vichy, por volta das 7h da manhã: eu, Luiz, João, Pati (é engraçado ter outra Patrícia no grupo rs) e Bruno (tudo UNICAMP, menos o Bruno que é agregado, da UFRGS rs).
Chegamos na Gare Lyon-Perrache, mas nosso querido amigo Avatar, por um problema de comunicação, nos esperava na outra gare de Lyon. As duas são próximas, foi fácil de nos encontrar!

 

A mère d'accueil do Luiz foi muito gentil e nos deu umas dicas para a viagem com vários lugares bacana para visitar. Ao chegar lá, fomos no ofi de tourisme e compramos um cartão, tipo um forfait, que nos dava direito, por dois dias, a entrada em todos os museus, metrô ilimitado, visita guiada a pé e uma visita guiada de barco. Dinheiro muito bem investido rs

Chegamos, visitamos alguns lugares, praças e ruas. Demos uma olhadinha nos rios que cortam a cidade e depois fomos ao "hotel" deixar nossas mochilas. E por lá acabamos almoçando todas as porcarias que trouxemos na mala rs. No período da tarde demos uma volta pela cidade, visitamos um museu de cinema e miniaturas e inclusive assistimos a um teatro de marionete. Esse foi muito bonitinho! Estava cheio de crianças, foi uma graça ver todas elas participando do espetáculo! *-*


 


 



Depois, voltamos para o hotel pra tomar um banho e saímos para jantar num tradicional Bouchon, um tipo de restaurante típico de Lyon onde você paga um valor e tem prato de entrada, prato principal e sobremesa. Eu não quis me arriscar muito nas refeições comendo coisas que não conhecia rs. Pedi uma salada lyonesa, que por sinal é MUITO, MUITO boa! E depois, um filé ao molho madeira com batatas e cenouras (gostei, mas o tempero é bem forte e característico).

 

 Depois de lá, fomos na visita guiada de barco. Muito top poder passear pelo rio a noite, num barco todo bonitinho e iluminado. E com amigos. Vimos muitos pontos da cidade, todos iluminados, bem coisa de filme. Após o passeio, fomos à um pub que os meninos que já estavam em Lyon conheciam e ficamos lá um tempinho antes de ir para o hotel num dos últimos metrôs do dia.





No dia seguinte, acordamos BEM cedo e tomamos o café da manhã no hotel. Como a diária acabava às 12h e não queríamos voltar para o hotel depois, levamos nossas coisas e deixamos na casa d'accueil do Avatar, para pegar só no final do dia antes de voltar para Vichy.

Segundo dia foi bem animado! Logo no começo da manhã, fomos na Basílica de Fourvrière. Tivemos que pegar um bondinho para subir até lá. A vista é maravilhosa! Dá pra ver a cidade toda de lá de cima! A igreja é sensacional também, tem uma catedral subterrânea em baixo da igreja principal! Só vendo mesmo pra acreditar o quão bela é aquela construção! Ficamos para participar da missa das 09h30, que foi a mais bonita que eu já vi até agora. Estavam presentes três padres, uma comentarista e o músico que tocava órgão. Muito bonita mesmo! Pena que o teto da basílica estava em restauração e completamente fechado, não pudemos ver...

 




Depois: ruínas do teatro Galo-Romano e museu dedicado à eles. Não estava sol, mas estava um calor absurdo, que queimava a pele. É uma sensação difícil de descrever, só passando mesmo! Foi divertido, subimos muitas escadas (cujos degrais são altos e estreitos rs). Mas é muito bonito, foi a primeira construção grande de muito tempo atrás que eu vi aqui na Europa!



Almoçamos no MickyDo (lê-se McDo, mas o Avatar já tinha encontrado um rato andando lá perto, então ficou o nome rs), andamos um pouquinho, fomos num pedaço da visita guiada a pé, tomamos banho na fonte, fomos no Museu de Belas Artes (Musée des Beaux Arts), de marionetes e da história da cidade. Compramos pêssego numa banquinha enquanto esperávamos o ônibus.


Por fim, fomos num shopping da cidade. As lojas estavam todas fechadas (exceto as de alimentação). A vista é muito bonita! E quase perdemos o ônibus pra voltar: eu, Luiz e Bruno corremos como uns loucos para não perder, já que fomos engraçadinhos de querer dar mais uma volta no shopping enquanto os outros já iam para o ponto. HAHAHAHAHA. E voltamos para Vichy no começo da noite. Valeu a pena!

E diga-se que eu QUASE perdi meu celular nessa viagem. Mas nem me preocupei, tem seguro :B


Disneyland Paris

Há quase um mês atrás (PRECISO aprender a atualizar o blog com mais frequência rs) fomos para a EuroDisney!

As aventuras da viagem começaram bem cedo rs. Logo que recebemos o programa semanal do Cavilam, corremos para fazer a inscrição pois é uma das atividades mais desejadas por todos os alunos e tem vagas limitadas (embora pareça que esse ano teve mais ônibus que os anos anteriores). Pagamos 75 euros: viagem de ida e volta e entrada nos dois parques. Não achei caro, se fôssemos por conta acredito que gastaríamos bem mais.

E, como bons brasileiros, no dia anterior da viagem fomos ao mercado e fizemos a festa! Compramos coisinhas para levar pra comer: bolachas, chocolates, croissant, bolinho, suco de laranja, água, pringles (tudo MUITO saudável, não? rs). Resumo da história: mochilas só pra levar comidas! hahahaha

Dia da viagem: sairíamos às 04h30 da Place de la Victoire (lugar de onde os passeios do Cavilam sempre saem). O combinado entre alguns amigos era de nos encontrar às 04h00. E eu tinha acabado de acordar nesse horário, depois de milhões de ligações e mensagens do Luiz e do João rs. Acordei no desespero, sem tempo para nada! Ainda bem que eu já tinha as coisas preparadas no dia anterior!

Enfim, deu tempo! Só nos restou as seis longas horas de viagem até Paris e é óbvio que fomos dormindo a maior parte do tempo, mesmo aquele ônibus sendo bastante desconfortável.

Chegando, recebemos nossos ingressos... et voilà! Livres o dia todo, com um rendez-vous às 21h para voltar pra Vichy.

 

A Disneyland Paris tem dois parques: um menor que fecha mais cedo e outro maior (me perdoem, não lembro o nome bonitinho dos parques!). Nosso primeiro brinquedo foi o elevador Hollywood Tower. Demais! Encontramos um outro brasileiro na fila, que acabou passando o resto do dia conosco.
As atrações são muito organizadas! A fila de cada uma delas é temática, os operadores são animados e também fazem parte de todo o cenário. Completamente mágico, totalmente diferente do Hopi Hari rs

Lá tem um negócio bem interessante: você pode pegar, gratuitamente, um ticket com um intervalo de horário para entrar nas atrações sem pegar fila (pega-se um pouco, mas é quase nada!). Existe isso para praticamente todos os brinquedos e, assim que você o utiliza, pode pegar mais um.

 

     


Para aqueles que sonham em ver os personagens pelas ruas do parque: isso é muuuuuito difícil de acontecer aqui na França! Vimos somente a Minnie e o Pateta mas estava lotado de gente em volta! As montanhas-russas são demais!

                                               

Vimos a parade, desfile bem bonitinho que acontece pelas ruas do parque. Aí sim podemos ver a maioria dos ídolos de Walt Disney e relembrei muuuuuito a minha infância! <3



No fim do passeio, compramos alguns (caros) souvenirs e viemos embora. Não preciso nem dizer que todo mundo desmaiou no ônibus, que só chegou em Vichy por volta das 04h da manhã.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Dias atrás...


Pardon tout le monde! (Desculpe todo mundo!)

Está difícil manter o blog atualizado, dá mais trabalho do que eu imaginava! Pode parecer que não, mas acaba me custando mais de uma hora para escrever cada post :P
Conto agora algumas novidades de alguns (?) dias atrás.

No dia 18 de julho teve em Vichy uma competição de hipismo, do Festival du Galop 2012. Eu quis muito ir ver pois não tinha tido a oportunidade antes. Fomos, então, eu, Victor e Luiz e a mère e o petit frère d'accueil do Victor para o Hipódromo de Vichy que fica do outro lado do rio, fazendo com que pudéssemos pegar um barquinho (pequena balsa) para atravessar o rio sem ter que dar uma volta gigante a pé.

 


Para chegar até a entrada do evento, cruzamos a pista dos cavalos e vimos o monte de fogos que esperavam para serem lançados ao céu no final da competição. Acabamos nem entrando oficialmente no evento, tinha que pagar e a visão era a mesma (talvez até tenhamos visto melhor as corridas), só não sentimos o clima real das apostas  em dinheiro que são feitas nos cavalos rs.





Uma semana depois, no dia 25 de julho, teve um campeonato de vôlei de praia organizado pelo Cavilam. Fomos convidados a jogar com alguns croatas da nossa sala e aceitamos o convite. No dia, os lindos tinham colocado outras pessoas pra jogar no nosso lugar e, então, ficamos num time só com brasileiros mesmo. O espírito era se divertir, ninguém sabia jogar totalmeeente bem. Assim, de pouco em pouco e eliminando os adversários, os dois únicos times de brasileiros se enfrentaram na final \o/
Foi engraçado, a pressão psicológica funciona mesmo! Enquanto os outros estrangeiros jogavam totalmente mecânicamente, os brasileiros vibravam e comemoravam toda hora e, querendo ou não, isso me pareceu intimidar os adversários rs.

Meu time ganhou (Eu, João (UNICAMP), Victor (UNICAMP), Ricardo (UFRGS) e Ricardo (UFRGS))! Os brasileiros ganharam! Até os animateurs do Cavilam entraram no clima!
Ganhamos até um espacinho no blog deles, cliquem aqui para ver nosso pequeno momento de fama! hahaha

 



E outro evento que teve aqui no último final de semana foi o Le JetCross Tour que aconteceu no rio Allier, contando com a presença de 120 competidores de 8 diferentes nacionalidades. Constava em corridas e acrobacias com jetskis. Foi legal para conhecer, mas não achei grande coisa rs. E posso dizer que a competição foi vista depois de uma visita (e uma GRANDE caminhada) ao McDo para almoçar com alguns brasileiros e nossa amiga japonesa, a Mayuko!







Próximo post: DISNEYLAND PARIS! :D


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Celular, mudança de nivel e Carrefour

Celular. Nunca senti tanta falta de ter um.
Alguns podem pensar que eu sou viciada, mas não... Estava bem difícil a comunicação com o pessoal aqui rs. Enfim, alguns trouxeram o aparelho do Brasil e puderam comprar um chip pré-pago com bastante facilidade. Eu não trouxe nada e queria comprar um celular de conta, pois ficarei aqui dois anos e o aparelho sairia barato :D O problema é que, para isso, precisaríamos de nossas 'cartes bleues', o cartão do banco (acreditem, a burocracia e enrolação para conseguir isso aqui é bem semelhante ao Brasil). Assim que chegou o cartão fomos comprar o celular, no mesmo dia rs

               

Aqui tem três operadoras principais: Orange, SFR e Bouygues. A Orange é a maior delas em relação à área de cobertura, e em segundo lugar fica a SFR. Variam-se algumas coisinhas nos planos e nos preços dos aparelhos. Eu acabei optando pela Orange e tenho ligaçoes e mensagens ilimitadas para toda a França (é muito bom isso, sério) e uma cota bem boa de 3G. Resumindo: estou de volta ao Instagram, Foursquare, Whatsapp, etc... rs




Também quero contar para vocês como eu e o Luiz evoluímos demais nas primeiras semanas no Cavilam hahaha. O teste de nivelamento nao foi muito bom e acabamos iniciando numa turma de A1, onde as pessoas nao sabiam - quase - nada de francês. Estava ruim e logo pedimos para mudar. Depois de avançar cinco niveis, nossa professora (muuuito simpatica, por sinal. Até trocou email conosco para manter contato!)  pediu para que pulassemos mais alguns e agora estamos no nível adequado!

Também falando do Cavilam, semana passada eu fiz o ateliê de teatro! Adorei! Foi um pouco diferente do que eu imaginava (não, não tem nada a ver com ensaiar uma grande peça de teatro e apresentar). A professora é muito figura e demos muitas risadas. Uma das atividades que mais gostei foi que devíamos escolher uma imagem na revista e agir e pensar como a mesma durante uma discussão sobre diversos assuntos (eu era uma senhorinha de 90 anos... tinham celebridades, crianças, caipiras, jogador de futebol...). Estou pensando seriamente em voltar para esse ateliê!
Atualmente faço o de gramática, e está sendo um pouco massante (mas bom!). É a sala que tem mais brasileiros, por todas que eu já passei.

___

Carrefour. Vale a pena conhecer, embora demande uns 20 minutos de caminhada. Tem bastante coisa barata (principalmente junk food D:) e coisas bem diferentes! Os preços são, cerca de 90%, digitais! E tem  Coca-cola sem cafeína, comofas? rsrs