Páginas

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Processo seletivo: finalmente os resultados!

Depois da entrevista, a etapa mais massacrante: ficar esperando pelo resultado. Como todo mundo, achei que tinha ido muuuito mal na entrevista e que não tinha chances de passar. Ficava pensando no que disse e no que poderia ter dito durante aqueles 15 minutinhos (não adianta. Por mais que a gente saiba que isso só vai nos fazer sofrer e que não há mais nada a ser feito, não tem como não ficar preocupado/ansioso). Enfim, junta-se tudo isso com a melhor época de nossos semestre. Sim, aquela cheia de provas!


Pelos históricos, só iríamos ter o resultado lá pelo final de novembro, cerca de um mês após a entrevista. Posso dizer que esse sofrimento acabou antes do esperado (ufa!). Ou melhor, foi trocado por um nervosismo maior ainda! D:
Como assim? Recordo-me que na noite do dia 07 de novembro, chegando em casa após mais um dia longo de trabalho e faculdade, vejo um post no Facebook, do Erik (eng. de produção): "DUPLO DIPLOMA EM PARIS!!!!!!!!!!". E agora? Como ele sabia do resultado? Não chegava primeiro pro professor coordenador? Não passei, então? Tentava me comunicar com ele, com o Gustavo (da minha turma na UNICAMP) e com o Wesley (da computação) para ver se já sabiam de algo. Nada. 

E não é que, no dia seguinte, fujo no meio da minha aula de álgebra linear logo de manhã para procurar pelo professor responsável. Minha sorte foi das maiores: não encontrei ele na respectiva sala. Minha saída, então, foi enviar um email perguntando se ele já tinha a lista dos aprovados, visto que tinha gente que já sabia do resultado. Em menos de 15 minutos, eis que chega uma resposta do professor. Entre as palavras, o "você passou" já me paralisou, me custou a cair a ficha. A felicidade foi tremenda, mesmo não sabendo ainda para qual cidade eu havia sido selecionada! Momento eufórico! Ganhei meu dia! Ganhei meu ano! É bem aí que você percebe que todo o esforço valeu a pena e que é possível conquistar o que você quer.

Acho que mais gente foi atrás do prof. Pissolato para saber do resultado que ele liberou pra gente antes da CORI. Logo no começo da noite recebi um email encaminhado com a lista dos alunos selecionados com as respectivas écoles (e repassei pra aqueles que ainda não haviam recebido!).

Enfim, o resultado: foram selecionados 14 alunos da UNICAMP


Engenharias de origem:
  • 2 alunos da elétrica
  • 2 alunos da computação
  • 3 alunos da mecânica
  • 1 aluno da alimentos
  • 2 alunos da química
  • 2 alunos da civil
  • 1 aluno da mecatrônica
  • 1 aluno da produção


Destinos:
  • 3 alunos para Paris
  • 2 alunos para Lyon
  • 4 alunos para Nantes
  • 2 alunos para Lille
  • 3 alunos para Marseille




Eu vou pra École Centrale de Nantes! Digamos que para mim foi uma surpresa, pois era uma das que eu menos tinha pesquisado antes da entrevista. Agora é entrar em contato com os veteranos e conhecer um pouco da vida na 5ª maior cidade francesa!



École Centrale de Nantes


Daqui pra frente, começa a preocupação com a documentação necessária para a candidatura à bolsa Eiffel (uma bolsa de estudos). Todo o processo será conduzido pela École responsável pelo estudante. (Novamente, assunto para um post futuro!)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Processo seletivo: a entrevista

Conforme comentei no post anterior, uma das etapas que temos que passar durante a seleção para o programa de duplo diploma com as Écoles Centrales é a entrevista.

Os 25 alunos com os melhores CRPs que fizeram a inscrição são convocados para a entrevista com o comitê francês numa data e horário estipulado pela própria UNICAMP (estipulados pela CORI, pra falar a verdade rs)

Sabendo quando será feita, começa todo o medo e ansiedade até o tal dia. A entrevista, no meu ponto de vista (e acho que no de todo mundo), é a parte mais complicada. Esse ano foi numa quarta-feira, e bem naquela época em que estamos cheios de provas (já imagina o que acontece, não é mesmo?).

Os alunos seriam entrevistados a partir das 08h, e eu era a décima da lista com horário marcado para 10h15. Mas seguir os horários certinhos deve ser só coisa de inglês mesmo né, ou seja, os franceses estavam atrasados. Alguns chegaram logo após as 08h, mas parte deles estava em São Paulo (no dia anterior foi a entrevista na POLI-USP) e não imaginavam (creio eu) o trânsito que pegariam para chegar até aqui visto que era horário de pico nas duas cidades. E eu, preocupada com horários e ansiosa do jeito que sou (haha!), cheguei na FEEC para a entrevista as 07h30 e já tinha gente lá esperando.

Os franceses chegaram em duas turmas, sendo um grupo de cinco pessoas, cada um representando uma École. Eles foram bem simpáticos quando chegaram e passaram pelo lugar que estávamos. Ouvimos alguns bonjour, good morning e uma das moças até arriscou um bom dia! Mas nada, nada conseguia nos tranquilizar. Nem as palavras animadoras do Professor Pissolato (responsável pelo DD das Centrales na UNICAMP), mas foram de bastante importância para todos nós.
A entrevista realmente começou por volta das 09h15 e a primeira foi a Larissa, da comp. Ela estava muuuito nervosa, andando de um lado pro outro e o pior: tinha prova logo às 10h. Cada vez que saía alguém da sala, era um a menos para chegar a minha vez. O maior sofrimento. E cada vez chegava mais aluno para esperar pela entrevista, o hall de entrada da FEEC ficou parecendo um consultório médico haha!

Entre um aluno e outro, o comitê pega seu dossier e analisa tudo: CV, carta de motivação e histórico escolar. E só depois disso é que começam a entrevistar, em inglês ou francês (escolhi inglês por razões óbvias!).

É mais ou menos assim a
entrevista, rs
Era a minha vez. A adrenalina tomou conta, são apenas 15 minutos para mostrar o seu potencial, contar da sua vida e dizer que está totalmente preparado e apto para ir estudar na escola deles. Cinco franceses na sua frente, fazendo perguntas atrás de perguntas, e o Prof. Pissolato no fundo da sala, assistindo a entrevista.
Não são perguntas difíceis de se responder, mas precisa conhecer bem seu currículo, o que você escreveu na carta e suas perspectivas para o futuro profissional. A mais inesperada para mim foi "quantas horas você dorme por noite?" haha.




Para essa etapa (pelas outras anteriores e por várias ajudas) uma pessoa que tenho que agradecer muito, muito e muito é a Amanda. Ela estudou na Centrale Paris, já voltou para o Brasil, me orientou durante todo o processo, me contou da vida em Paris e, principalmente, me tranquilizou em relação à entrevista. Foi muito gentil comigo :)

E agradecer também àqueles que sofreram comigo (Gustavo, Avatar e Henrique - todos EE010 - e Wesley, da comp) e trocaram informações sobre o processo seletivo! Ao pessoal que está nas Centrales atualmente (Maurício e Helena, principalmente) e à todos aqueles que me apoiaram e incentivaram! Foram muito importantes (não vou citar nomes para não esquecer de ninguém) !

Acabada a entrevista, não há mais nada a fazer. Agora a parte mais angustiante: esperar pelos resultados. Assunto para o próximo post, não quero estender muito esse daqui :P



Feliz Natal para todos vocês!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Écoles Centrales? Duplo Diploma?

O que é um duplo diploma? O que são as Écoles Centrales? Como fazer parte disso tudo?


Esse vai ser um post mais explicativo e vou tentar responder as questões acima, já que muita gente interessada deve procurar essas informaçãoes por aí (pra aqueles que estão fazendo isso, deixo meus parabéns. É super importante conhecer bem essas respostas pra você ver se realmente é o que você quer e, principalmente, se preparar para conseguir!)



Duplo diploma nada mais é do que obter dois diplomas após terminar sua faculdade aqui no Brasil. Explico: um deles será obtido através de estudos em uma faculdade em outro país e o outro é da sua universidade brasileira. No meu caso, teria um diploma de engenharia da França e outro do Brasil (não sei se existe essa possibilidade para outros cursos). Mas, na maioria dos casos, os intercâmbios não dão direito ao diploma estrangeiro, isto é, você só consegue eliminar disciplinas na sua faculdade por já ter cursado em outro país. Por outro lado, nos programas de duplo diploma você sai com dois certificados mesmo e o tempo de estudo no exterior é de aproximadamente dois anos (depende do programa e da universidade pra onde você vai). Isso faz com que o tempo de duração do seu curso aumente um pouco mais (ou não, caso você consiga puxar matéria e dar conta de uns créditos a mais nos próximos semestres, rs). Seguindo a grade recomendada pela UNICAMP, aumenta-se, geralmente, um ano.


Funciona basicamente assim: você inicia o seu curso aqui no Brasil, dá uma pausa aqui e faz o tempo necessário numa outra universidade, volta pra cá e termina seus estudos (também é conhecido como "graduação-sanduíche", vocês já devem ter descoberto o porquê).


Falando um pouco aqui da UNICAMP e dos cursos de Engenharia, um das opções que nós temos de duplo diploma é com as Écoles Centrales. Mas o quê são elas? São cinco grandes escolas francesas pertencentes ao Intergroupe des Écoles Centrales, cada uma em um "canto" da França (Paris, Lyon, Nantes, Lille e Marseille) que têm convênio de duplo diploma com seis universidades brasileiras: UNICAMP, POLI-USP, UFRJ, UFRGS, PUC-Rio e UFC.

Todas as engenharias podem participar do programa, uma vez que a formação de lá é "engenharia generalista", onde teremos uma formação ampla independente do curso que estamos no Brasil (sim, os alunos de elétrica, química, alimentos, mecânica, etc. fazem as mesmas matérias). A duração é de dois anos, começando em setembro (o ano letivo na Europa começa no segundo semestre. E o verão também :P ), quando você estaria cursando o quinto semestre. As aulas? São tooodas em francês, então é mais que recomendado uma preparação no idioma. Eu sinto que comecei a fazer isso um pouco tarde (Je viens de commencer à étudier le français :P ) comecei em setembro/2011 e todos sabemos que francês não é tão trivial quanto inglês (embora seja muito mais bonito!).



Para ser selecionado a ser um Centralien (nome dado aos estudantes das Écoles Centrales) é um processo bem simples e tudo vai depender do quanto você se dedica e gosta de estudar. Você tem que ser um ótimo aluno com ótimos rendimentos. Esse é o primeiro passo para poder participar do processo de seleção, uma vez que seu CR (coeficiente de rendimento) e CRP (coeficiente de rendimento padrão) são levados em consideração para te selecionar para a entrevista (pelo menos aqui na UNICAMP funciona desse jeito).

Todo esse processo é feito durante o quarto semestre acadêmico e a divulgação é feita por email (esse ano chegou pelo email da FEEC, não divulgaram pela DAC! Portanto, atentem-se ao email fornecido pelo seu instituto!).
A documentação exigida para essa primeira parte é relativamente simples: um currículo, histórico escolar da universidade e uma carta de motivação (que para mim foi a coisa mais complicada). A universidade, então, recolhe esses documentos e, a partir do CR e CRP, seleciona alguns alunos para a entrevista com o comitê francês (um representante de cada École).



Escrevi bastante nesse post! No próximo, contarei um pouco sobre a entrevista e alguns resultados.

Au revoir :)

sábado, 26 de novembro de 2011

Primeiro Post

Olá a todos!

Estou começando esse blog para relatar meu futuro cotidiano em Nantes, França.
Para aqueles que não sabem, fui selecionada para participar de um programa de Duplo Diploma com minha universidade (UNICAMP) e a École Centrale de Nantes. Durante esse tempo, pretendo deixar aqui um pouquinho da minha vida em terras francesas e dar notícias para família e amigos que me acompanharão do Brasil :)

Faz menos de um mês que saiu o resultado divulgando a minha aprovação para Nantes e ainda não saiu resultado de bolsas (torçamos para que dê certo!). Estou positiva e quanto antes começar a escrever, mais coisas falarei sobre o processo de seleção. Assim, o blog será também um guia para aqueles que têm a intenção de se tornarem um Centralien (li vários blogs de pessoas da UNICAMP, POLI-USP, UFRJ...   e conversei com veteranos pra tirar minhas dúvidas!)


Até o próximo :)